Censura no #Twitter: a rede removeu o vídeo de #médicos que promoviam a #hidroxicloroquina




O vídeo foi retuitado pelo presidente Trump e rapidamente se tornou viral nas mídias sociais, mas em outra ação de censura, foi removido pelo Twitter.

O vídeo mostrou uma dúzia de médicos em frente ao prédio da Suprema Corte de Washington elogiando o uso da hidroxicloroquina como uma droga capaz de lidar com os efeitos do vírus do PCCh.

Conforme relatado pela Fox News, um representante do Twitter disse que a ação de censura foi tomada seguindo as diretrizes de não permitir a disseminação errônea de notícias sobre o vírus.

Um dos médicos identificados no vídeo é a Dra. Stella Immanuel, que alegou ter tratado mais de 350 pacientes com coronavírus, incluindo alguns com doenças pré-existentes, como diabetes e hipertensão, e que nenhum morreu após receber hidroxicloroquina. Stella Imanuel chegou a afirmar que usa e recomenda seu uso como profilático.

Recentemente, alguns estudos questionaram o uso da hidroxicloroquina para combater o vírus do PCCh e pode até ser prejudicial à saúde. Conforme relatado pela RT , a Dra. Stella Immanuel ficou indignada com esses estudos e garantiu que eles são uma grande fraude farmacêutica. Ela também disse que os médicos que hesitam em prescrever a droga, são comparáveis aos “bons nazistas … que viam os judeus sendo assassinados e … não faziam nada”. Dra. Immanuel relatou que foi bombardeada por “todos os tipos de ameaças”, mas acrescentou que não vai ceder à pressão.

“Vocês podem me denunciar, podem me matar, podem fazer qualquer coisa, mas não vou deixar os americanos morrerem”, disse a Dra. Stella Immanuel.

Logo depois que seu vídeo se tornou viral, e o presidente Trump o retweetou, a Dra. denunciou que sua página no Facebook e seus vídeos no Twitter haviam sido removidos.

Recentemente, ela fez outra publicação na qual afirma ser vítima de uma campanha de difamação e pede que pacientes curados com hidroxicloroquina a apoiem. “Nós precisamos de sua ajuda. Estamos sendo atacados, ridicularizados e desacreditados. Precisamos que nossos pacientes falem. Se este medicamento curou você, compartilhe sua história on-line com esta hashtag: #HCQWorks

WE NEED YOUR HELP.We are being attacked, ridiculed and discredited. We need our patients to SPEAK UP. If you have been cured by this drug, share your story online using this hashtag.#HCQWorkspic.twitter.com/KRjtiPeeH9— Stella Immanuel MD (@stella_immanuel) July 28, 2020

Desde o início da pandemia, grandes plataformas de mídia social nos EUA, removeram todo o conteúdo do vírus do PCCh porque acreditavam conter informações errôneas sobre a doença.

Recentemente, o prestigioso Dr. Harvey Risch, professor de epidemiologia em Yale e diretor do Laboratório de Epidemiologia do Câncer Molecular, garantiu em um artigo da revista NewsWeek que quando a hidroxicloroquina é administrada precocemente a um paciente doente com o vírus do PCCh, antes que o vírus tenha tempo de se multiplicar além do controle, é provado que é uma droga altamente eficaz, especialmente quando co-administrada com alguns antibióticos, como azitromicina ou doxiciclina e zinco como suplemento nutricional.

Quando perguntado por que o Dr. Risch não conseguiu espalhar o uso da hidroxicloroquina, ele respondeu que uma das principais razões é que a droga se tornou altamente politizada. Para muitos, é visto como um marcador de identidade política, dividindo os dois lados do espectro político. O que é um erro real. Assim como a medicina, devemos julgá-la estritamente de acordo com a ciência e a política não deveria intervir.

Por Andrés Vacca




17 visualizações
Em Signo de Ar

Deseja aprender sobre mercado Financeiro e conhecer mais sobre nossa sociedade ? 

Escute nosso podcast !

Entre agora, estamos te esperando!

Clique na imagem.

  • White Facebook Icon
  • White Twitter Icon
  • White Google+ Icon
download (5).jpeg

ALLIUM SOCIEDADE MÉDICA

Devido  à  Pandemia estamos atendendo via remoto.

Telefone : ( 11 ) 2687- 34 40

                ( 11 ) 9 5135 - 62 62 

E-mail : falecom@alliumsociedademedica.com.br